quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Será que é assim?

"Dizem que tudo o que buscamos, também nos busca e, se ficarmos quietos, o que buscamos nos encontrará.
É algo que leva muito tempo esperando por nós.
Enquanto não chega, nada faças. Descansa.
Já verás o que acontece enquanto isso."

Mulheres que correm com os lobos - Clarissa Pinkola

22 comentários:

Lirio Selvagem disse...

Desconfio que isso não funciona.
Pelo menos até esta data não funcionou...

Beijos**

nos"entas!!!! ( e feliz) disse...

será?? não será?
as duvidas atemorizam-nos.
até chegar ou não chegar, bora para a frente ;)
beijinhos

Algures disse...

Lírio,

Desconfio que tens razão, até porque os resultados práticos ainda não ocorreram. Contudo, parece que há opiniões contrárias, pelo que, ainda que tenha as maiores reservas, pode ser que... :-)

Beijinho*

Algures disse...

Nos"entas!!!!(e feliz),

Coloquei a pergunta justamente por duvidar que assim seja. Como em muita coisa na vida, a inércia não nos faz nada, ainda que, saber esperar também é uma virtude. Como tal, se nada nos fizer pensar o contrário, para a frente é o caminho... :-)

Beijinhos*

Freyja Pt disse...

Nah....
A inércia não nos leva a lado nenhum e muito menos faz acontecer...sim pode por alguma razão algo acontecer sem se esperar mas nem sempre tal acontece..

Há quem chame destino...eu chamo lutar...por isso embora diga que possa acontecer nada como batalharmos por aquilo que queremos...

Beijo*

Moonlight disse...

Tenho as minhas duvidas de que assim seja .... embora ás vezes tenha a sensação de que certas coisas, vêm quando têm de vir e não são para ser procuradas.

Beijinhos*

bailarina disse...

Algures,

Do meu ponto de vista, depende de que aspeto da vida falamos. Considero que assuntos do "coração" não podem ser forçados e acontecem quando é suposto acontecer, quando devem acontecer, quando estamos preparados para tal, até servem para aprendermos e estarmos preparados para o amor da nossa vida chegar.

Quanto ao resto, as coisas também vão acontecendo e como é lógico, devemos lutar por elas e tudo o que disseram anteriormente.

No amor, não vejo nada como forçado, as coisas vão fluindo. Se existe cumplicidade, os problemas vão-se ultrapassando e acabando por reforçar toda a relação.

Beijinhos e um ótimo fim de semana, descansado e muito feliz!

Algures disse...

Freyja,

Somos nós quem temos a maior capacidade de influenciar o nosso "destino". Quanto mais lutamos, mais influenciamos, ainda que às vezes, nada fazemos e as coisas acontecem.

Beijo*

Algures disse...

Moonlight,

Vejo as coisas exactamente da mesma forma, ainda que, tal como disse em cima, nós somos aqueles que melhor conseguem influenciar o nosso destino. E sim, há certas coisas que surgem quando menos esperamos e sem as procurarmos.

Beijinho*

Algures disse...

Bailarina,

Fazes-me sempre puxar pela cabeça. Isso é bom claro. Posto isto, sim, tudo depende do que se trata. Saber esperar é uma virtude e, há alturas na vida em que, por mais que lutemos ou batalhemos por algo ou alguém, estamos apenas a "acelerar em seco". Não vai mudar nada. Não vai fazer com que as coisas aconteçam. Às vezes, só nos vamos estar a desgastar. A nós e ao que buscamos! Tem de se aguardar pela altura certa. O problema é que nem sempre queremos esperar, nem sempre a espera é benéfica para o que pensamos e, a espera também nos muda. Entre outra coisas.
O amor... Cumplicidade, Amizade, Partilha, Respeito, Amor. Tudo isso contribui para ultrapassar os problemas e reforçar a relação.

Beijinho e um fim de semana descansado e feliz!

bailarina disse...

Algures,

Digo o mesmo... fazes-me puxar por estes neurónios.
Sem dúvida que é uma virtude, saber esperar. Quantas vezes vamos esperando porque nos vão dando indícios? Ou acreditamos neles? Já lutar por objetivos, sonhos, mesmo que seja "em seco" pode ser bom. Temos de ter a capacidade de dar um passo atrás, avaliar o que estamos a fazer e verificar se devemos seguir esse caminho e/ou utilizar outras outras estratégias ou mesmo encontrar outros objetivos. No amor, acredito que apenas devemos lutar por algo que seja a dois. O amor é como uma dança, onde duas almas dançam. Não é possível um dançar, um lutar sozinho...

E tens toda a razão, nós nem sempre queremos esperar. A ansiedade é algo que domina esta sociedade. Queremos tudo para o agora.

O amor... o amor necessita disso tudo: cumplicidade, amizade, partilha, respeito, amor.... vividas a dois, construídas a dois e tal como referes ajudam a ultrapassar os problemas e a reforçar a relação. Mas quantas vezes as pessoas invertem isso e chamam amor a algo que nunca o foi? Tantas vezes... vezes demais...

Beijinhos para ti também Algures. Quanto ao fim de semana não será descansado, amanhã espera-me uma viagem de ida e volta à Pampilhosa da Serra. Feliz? Espero que sim! Espero que o teu também seja !!

Algures disse...

Bailarina,

Sim, os indícios! E quantas vezes não os sabemos interpretar? Uma vida sem horizontes não deixa de ser estranha. Soa a irmos ao sabor da maré, e isso pode ser... sei lá, gosto sempre de definir um rumo. No amor isso já não depende exclusivamente de nós e, se não for a dois, não faz qualquer sentido.

A tua expressão, do queremos tudo para o agora, fez-me todo o sentido... nem imaginas o quanto!

Bom, as pessoas podem chamar e até acredito que possa haver amor, contudo, havendo "deficiências" ou "lacunas", as coisas tornam-se mais complicadas... já para não falar nos casos em que simplesmente, o amor não existe, ponto. O amor precisa disso tudo e algo mais... :-)

Boa viagem, com muito cuidado e, que seja um dia sorridente! Feliz na medida dos possíveis!
Tentarei fazer por isso, obrigado.

Beijinho*

bailarina disse...

Algures,

Não os sabemos interpretar vezes demais! Por colocarmos expetativas, alguns dos indícios por vezes ficam abafados. Eu também gosto de definir um rumo, não estaria eu agora a sentir-me na corda bamba se não considerasse que em termos profissionais estou sem rumo, e tenho de o definir. No amor, claro, se não for a dois não terá sentido se o relacionamento, o todo, não for a dois.

Amor não dá para definir, podemos estar aqui eternamente a tentar atribuir-lhe adjetivos e ficaremos sempre aquém.

Obrigada. A boleia está a 5minutos daqui... muito atrasados por sinal! Depois é só apanhar o último comboio e voltar à cidade branca para amanhã ir para mais uma aula de inglês!

E será um dia sorridente com toda a certeza. Faz o mesmo!!!!

Beijinhos

Algures disse...

Bailarina,

Quantas e quantas vezes... Quem disse que interpretar é fácil?
Definirás um rumo assim que reunires a informação necessária.

O Amor é, e será sempre, imensurável.

Faz boa viagem, algures por entre o sol e os sorrisos.
Como diriam os ingleses, have a good trip! Eheheheh :-)

Beijinho*

bailarina disse...

Algures,

Quanto a este assunto acho que estou a ser um pouco permissiva e tendo em conta a minha maneira de ser, devia desligar-me completamente do ensino como por exemplo desistir do concurso, para que o susto do nada me obrigue a mexer. Parece que o meu corpo se moldou à stora e não vê mais à frente porque tem teto, cama, vá comida e roupa lavada já sou eu que trato porque consegui correr os meus pais de casa (brincadeira, eles foram para a terra).

E sim, o amor é tão bom de grande grande que é! Enche o peito!

Ai a trip, a trip.... a culpa foi dos ingleses e dos yes! Quem mandou fazer estradas cheias de curvas?! Eheheheh

Beijufas, só para ser diferente.

Algures disse...

Bailarina,

Com o devido respeito, não creio que estejas a ser permissiva. Não se muda um sonho ou um projecto de vida de um dia para o outro. A meu ver, e apesar de não ter o pleno conhecimento dos factos, acho que não deves desistir do concurso. Mexe-te sim, procura alternativas, mas desistir não... Porque não continuares setôra?! O facto de teres tecto, cama, comida e roupa lavada ajudam neste meu pensamento! Se correste fizeste muito bem (brincando...)!

É bom ter o peito cheio...de amor ainda mais! :-)

Ai a trip... Curvas é bom! Eheheheh!

Beijufas*

bailarina disse...

Algures,

Não será de um dia para o outro. A educação não anda nas ruas da amargura à uns meses a esta parte. Todos os anos é a mesma luta, fico colocada ou não?! Já andei a lecionar ao 1º ciclo, nas chamadas atividades de enriquecimento curricular, onde trabalhamos a recibos verdes. Um dos anos, apesar de ter oficialmente 20horas semanais e andar a voar entre 3 escolas, apenas contava 12h30 por semana. Ao final do mês rendia uns 300 euros, mas era a contrato... ui. Fazia 120km/dia. Chegou a uma altura que tive que cultivar para comer. Isto porque vivia na altura numa aldeia.
Já deixei muita coisa para trás, já aprendi tanto, passei por experiências que só visto, algumas desejo a todas as pessoas, outras não desejo a ninguém!
Desta vez, não estou colocada fez em setembro 1 ano. Já chega de brincar às professoras.
Se ficar colocada no Minho com 6horas/semana, vou voltar a plantar alfaces, courgetes, batatas, couves? O ordenado vai para a casa ou para a alimentação. Vir a casa está fora de questão.

Alternativas... esse é o problema. Não se faz luz. Não vejo que caminho devo seguir. Quais as alternativas. Se visse... adeus escola, até um dia! Não tenho medo algum do desconhecido, mas estou cansada da incerteza.

E sim, peito cheio de amor... é do melhor, se não o melhor!

Até entendo quando dizes que curvas é bom, mas não na estrada! Ehehehehehe

Beijufasssssssss

Algures disse...

Bailarina,

Eu sei que sim e dou muito valor a tudo o que já passaste. Não é qualquer pessoa que enfrenta isso tudo. Bem sei que não é o meu reconhecimento que procuras, mas tiro-te o chapéu!
Estamos numa altura em que as alternativas são escassas e, estamos a falar de um passo importante na tua vida. A luz vai surgir e com ela a alternativa, depois basta-te seres a bailarina forte que tens sido.

Peito cheio de amor, sempre.

Mesmo na estrada as curvas podem ser boas... depende! :-)

Beijufassssssssssss*

bailarina disse...

Algures,

Eu não procuro o reconhecimento de ninguém. Fez-me bem passar por certas coisas, fez-me crescer, dar valor a muita coisa nesta vida. Agora, quero fazer disto vida? Não!
Se quisesse seguir a agricultura não tinha andado a matar a cabeça durante anos, a obrigar os meus pais a investir na minha educação. Simplesmente tinha-me mudado para casa de uma das minhas avós ainda na adolescência e hoje em dia estava safa.

É um passo importante sim, mas tem que ser dado. Não posso andar a "engonhar" muito mais tempo. Não tarda termina o subsídio de desemprego e não me vejo a pedir dinheiro aos meus pais. Aí, acho que a minha sanidade mental terminava! Algumas coisas sei de mim, não preciso de luxos, posso perfeitamente levar o meu almoço para o trabalho, não faço noitadas, gasto em viagens para fazer voluntariado e é esse o meu vício. Existem algumas áreas que gosto, muitas por sinal :) mas nem importaria de começar de começar mais em baixo e entretanto estudar, para subir na função.

Quanto à estrada, se for eu a conduzir, podem existir curvas... mas o meu ouvido interno, quando sou conduzida, diz que as retas são melhores!

Beijocas grandes!!!!!

Algures disse...

Bailarina,

Eu sei que sim. A vida faz-nos crescer a vários níveis e chega a um ponto em que precisamos da nossa estabilidade, assentar arraiais e iniciar nova "aprendizagem".

Actualmente não o faço porque consigo almoçar barato, mas já levei tantas vezes o almoço para o trabalho. Tantas... Não é preciso luxos, garantidamente. Estás a falar com alguém, que tirou o curso em 2011, pelo que nunca é tarde. Anda-se atrás do "prejuízo", mas... anda-se!

Curvas e rectas, é tudo bom! ...mas as curvas eheheheh! :-)

Beijocas grandes*

bailarina disse...

Algures,

Não leves nada do que escreva como um ataque para ti. Nada disso.! De longe..

Eu é que ando a começar a sentir as paredes a fecharem-se, as críticas e as imposições dentro de casa a tornarem-se destrutivas e em nada construtivas ou relacionadas com o amor. A revolta que sinto, porque sei o que me faz estar aqui, a falta de uma ajuda mesmo que seja a dizerem-me, não sejas parva que para essa função não tens jeito nenhum, faz-se sentir. A falta de confiança nos de dentro. Para eles sou uma estranha, uma completa estranha. Os meus desejos e vontades vêm depois dos do mundo.
Esta revolta que me fez decidir não ser mãe. Como eu digo, amo alguém que nunca nasceu! Tonta podes dizer, porque dou sempre mais uma hipótese a quem comete o mesmo erro. A quem arranha e depois lambe a ferida

Eu tive para concorrer para a faculdade novamente este ano, mas pesei tudo. Se tivesse um emprego e dependesse de mim as despesas, se vivesse sozinha. Tinha enviado os documentos. Agora, voltar a passar por tudo novamente? Não! Mais valia ir-me internar já ou até requisitar os teus serviços, porque não aguentaria.
Prefiro deixar alguns sonhos para trás, mas ter a minha sanidade mental. Prefiro ter um trabalho que não me realize totalmente, mas que me dê paz. Do trabalho só preciso que me pague as contas e seja honesto. Realização irei buscar em outro lado depois.
Bem acabei por chamar para aqui alguns assuntos que estavam em outros post. Não os especifiquei muito, mas alguma coisa que não tenhas entendido, pergunta. No entanto lembra-te não era para ti os luxos, não era para ninguém. Ou talvez fosse, mas para mim

Beijinhos

Algures disse...

Bailarina,

Não levei as tuas palavras como um "ataque", nem pouco mais ou menos! O que te levou a pensar isso?!

Compreendo perfeitamente o que dizes, mas tenta manter a cabeça livre de mais um problema. Bem sei que falar é fácil, mas mais um factor de "pressão" também não é bom para ti. Se calhar, os de dentro, também têm receio de te dizer algo que te possa afectar a nível profissional e, quer queiras quer não, "desabituaram-se" de ti e o processo de habituação, demora o seu tempo. Calma. A tua luz vai aparecer... believe me. Não és tonta, és humana. Sabes que se erra e como tal, dás espaço a esses erros. Normal e não tontice.

Se tivesses empregada, diria para ires em frente. Neste momento, assim, talvez não seja o ideal (ainda que não tenha conhecimento de todas as coisas)ires estudar de novo. Uma coisa de cada vez, como quem diz, viver dia a dia... :-)
Primeiro, arranjar um trabalho que te dê alguma paz e depois outros vôos. Eu próprio, gostava de voltar a estudar, mas enquanto a licenciatura não me der mais "frutos", não vou avançar para mais nada. Requisitar os meus serviços porquê?! Fiquei curioso! :-)
Quanto aos luxos, acho que nem eu nem ninguém se viu atingido pelas tuas palavras, mas, acho que já deste mais que provas, que não necessitas deles para viver e seres feliz. Really...

Um abracinho grande! Beijinho* :-)