segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Procuro e continuo a procurar...

Num emaranhado de metal e luzes procuro o que me faz recordar...
Por entre janelas e betão, um rasto do que fazia bater o meu coração...
Entre árvores e flores, procuro as cores que o coloriam...
Em lugares e objectos, o cheiro que me sorria...
Nos sentidos, tudo aquilo porque vivia...
Procuro e continuo a procurar, aquilo que um dia me fez amar.

2 comentários:

Freyja Pt disse...

Que essa procura não seja em vão!

Beijos

bailarina disse...

existem coisas pelas quais não podemos procurar... elas simplesmente caem-nos no colo! E quanto mais procuramos, parece que mais se afastam.

Beijinhos