sexta-feira, 26 de julho de 2013

Será assim?

“Ingénuos. O altruísmo não existe; tudo o que fazes é por interesse. Se fazes algo por alguém: estás a fazê-lo por ti; pelo que esse algo que fazes a alguém faz em ti. O altruísmo é a mais atroz das formas de egoísmo. Se passas a vida a fazer o bem aos outros: és um egoísta de primeira linha. Um bicho. Um animal. Só um monstro é altruísta.”

"In Sexus Veritas", de Pedro Chagas Freitas

8 comentários:

Sibilla A. disse...

Não concordo. Nada. E eu Adoro o Pedro Chagas Freitas. Seria muitíssimo melhor que fossemos todos supostamente monstros, mesmo que olhássemos por interesse para o bem que fazemos. Mas preferimos essas desculpas mesquinhas para não fazer nada, porque para mim essa é uma justificação mesquinha.
Existe altruísmo. E traz custos pessoais a todos os níveis.
E se tens dúvidas, basta saires um destas noites de inverno que se aproximam com um grupo de voluntariado de rua e verás o que é "ser" um monstro...

Tal como no amor. Se amo alguém fico feliz por essa pessoa estar feliz (deveria ser assim supostamente)

E na família em que ponho os interesses do meu filho acima dos meus, porque sou mãe, porque quero vê-lo feliz.

Beijinho*

Algures disse...

Sibilla,

Não emiti a minha opinião, apenas coloquei o assunto à colação. Se eu acho que existe altruísmo?! Acho...
No entanto, também penso compreender o ponto de vista do autor nesta frase (ainda que demasiado extremista), no sentido em que mesmo quando tentamos ajudar o próximo, é pelo "prazer" e "satisfação" que isso nos traz. Daí a isso ser encarado egoísmo, vai uma grande distância...

Beijinho*

Alexandra disse...

'Sê Livre'



A vida é uma caminhada que deve ser percorrida sem amarras. O que te prende? O que não te deixa seguir em frente?
A tristeza, a mágoa, as desilusões e amarguras... sim, é tudo isto que não te deixa leve, que não te deixa seguir. O que podes fazer? Por ti? Tudo, por ti deves fazer tudo! Somente quando aceitas a dor e curas as feridas podes seguir em frente, poderás viver na ilusão do pensamento de que nada tens... mas tens, tens um mundo vivo dentro de ti por onde tantas personagens já passaram, tantas histórias viveste... um mundo é aquilo que és e, por isso, não deixes o teu rio secar, não deixes a fome te consumir... abre os olhos e segue com atenção, de coração na palma da tua mão aquilo que ela, a vida, quer-te ensinar.
Faz isto... vive e sente, o bom, o mau e segue em frente sem amarras... simplesmente curado!

Escuta a branda voz do teu intimo.

Escrevi este texto há mais de um mês e parecendo que não fala daquilo que a tua publicação fala por entre linhas e palavras :)

beijinho!

beijinhos!

Brigitte disse...

Sabes... Eu até concordo. É o mesmo quando ouves os miúdos que vão para psicologia porque querem "ajudar os outros". Sim, concordo com ele.

Algures disse...

Alexandra,

Mais um bonito texto teu. A vida está nas nossas mãos e somos nós que dispomos dela, era para proveito próprio, ora para terceiros. Nós fazemos a escolha e o caminho a seguir...

Beijinho*
Beijinhos**

Algures disse...

Brigitte,

Eu compreendo o que ele quer dizer, simplesmente acho que ele cai no extremo e, consequentemente, perde a linha de pensamento, ou pelo menos coloca-a de uma forma com a qual não concordo. Até podemos fazê-lo pelos outros, mas pelo gosto que nos dá ajudar, isso não considero ser egoísta...

Beijinho*

Brigitte disse...

Se calhar a palavra egoísta não foi a melhor, por se tratar de algo prejurativo. Mas repara, tu ajudas " pelo gosto que nos dá ajudar". É algo nobre que te dá prazer. Se o altruísmo implicasse o teu sofrimento, repulsa, nojo, não o farias. Fazes porque te dá prazer, porque te sentes melhor contigo própio.

Mas enfim, podíamos ficar aqui a tarde toda a discutir este assunto :)

Algures disse...

Claro que sim. É nesse sentido (no prazer que retiramos em ajudar) que eu concordo com o que diz o autor, mas que discordo face ao restante teor do texto.

Podíamos ficar sim... eheheh :-)