domingo, 6 de fevereiro de 2011

Um tempo só meu...

Nos últimos tempos enquanto estudo vem-me muita coisa à cabeça e, há pouco, comecei a pensar que desde o falecimento do meu pai ainda não parei um pouco. Entrei para a Faculdade nesse ano e habitualmente vou às aulas, pelo que trabalho de dia, frequento as aulas à noite e o resto do dia é passado no trânsito e pouco mais. Fins de semana de estudo e pouco mais... Se este ano conseguir terminar o curso espero finalmente ter um pouco de tempo para mim e voltar a ter uma vida normal. Preciso disso mais do que nunca, pois neste momento só me apetece estar num cantinho bem sossegado, um cantinho só meu, com um tempo só meu...

6 comentários:

Bípede Falante disse...

Eu tenho um certo vício por estudar. Talvez, gostar de estudar também seja algo normal, talvez, assim como o desejo te estar quieto em um cantinho, que um cantinho tem também enorme valor :)
beijos

Algures disse...

Bípede,

Estou a passar por uma fase complicada da minha vida em que a cabeça está em todo o lado menos onde deveria estar. Estudar nessas condições tem-se revelado deveras complicado, mas aos poucos lá vou conseguindo avançar, no entanto, sinto a necessidade de me "proteger" e estar nesse cantinho, um pouco como um ermita, escondido e distante, mas, em segurança...
Beijos

Sophie disse...

E o que é se engloba no pouco mais? :)

Susy disse...

Bem!

Eu por mim acho que a evolução, ou o não acomodamento, é uma necessidade vital na vida de qualquer ser humano! No entanto, á minha volta vejo gente tão poucochinha, acomodadinha... Que tento lutar sempre por algo mais!

Mas, claro que sei e sinto, que ás vezes precisamos viver o "descanso do guerreiro"!

Beijinhos!

Algures disse...

Sophie,
o pouco mais é o muito menos para quem quer tanto, ou pelo menos, para quem precisa de algo. O pouco mais é um café aqui e ali, uma saída de tempos a tempos e, tudo aquilo que se pode englobar em alguém que vive sozinho e cujo tempo para ele próprio não abunda, podendo também acrescentar o factor económico que tem a sua forte influência.
Beijinhos

Algures disse...

Susy,
Nisso estamos de acordo. Parar é morrer e devemos sempre procurar evoluir quer para não estagnarmos, quer para quer a nossa vida não entre num ciclo de monotonia, motivo pelo qual nos devemos auto-motivar e seguir em frente em busca do "algo mais". Porém, às vezes precisamos de recuperar forças, pois se assim não for, tornamo-nos num "peso morto", amorfo e monótono, sem ideias e sem força para prosseguir. Às vezes, até pelo simples prazer de nada fazer e tudo admirar, se é que me faço entender. Sim, é o "descanso do guerreiro" que precisa de lamber e sarar as feridas...
Beijinhos